Home Office pós-quarentena, será que pode virar rotina?

Considerando as recomendações do Ministério da Saúde para evitar aglomerações, muitas empresas adotaram o home office que transformou por completo a rotina de trabalho tanto de gestores, como dos colaboradores. Mas será que essa prática vai virar rotina?

A rotina de trabalho de muitas empresas e seus colaboradores foram impactadas com a quarentena e passaram a trabalhar de forma remota, montando postos de trabalho na casa dos colaboradores. Pode ser que tanto as empresas, como seus colaboradores, estejam conhecendo e utilizando pela primeira vez esta nova forma de trabalho.

Estudos mostram que o home office pode ser mais produtivo que o trabalho alocado, além de reduzir custos tanto para os funcionários quanto ao empregador. E este é um bom momento para as empresas brasileiras perceberem que pode ser uma ótima oportunidade para testar e aprimorar este novo modelo de trabalho remoto. A plataforma de emprego Aistasker realizou um estudo com mais de 1.000 usuários sobre o home office e descobriu que cerca de 50% é adepto ao trabalho remoto e, ao comparar os colaboradores que trabalham home office, com aqueles que trabalham nos escritórios, descobriu-se que os primeiros são mais produtivos rendendo, em média, pelo menos 10 minutos a mais de trabalho do que os funcionários dos escritórios.
Descobriu-se também, que aqueles que trabalham no modelo home office perdem, na média, 27 minutos com “distrações” (redes sociais, aplicativos de mensagens e sites variados), enquanto no escritório este número sobe para 37 minutos. A pesquisa da Aistasker também mostra que os profissionais que fazem trabalho remoto costumar fazer pausas mais longas do que os que trabalham no escritório, relacionando diretamente estas pausas mais longas ao aumento de produtividade dos colaboradores home office.

A líder de Operações e Customer Experience da GE Healthcare para América Latina, Dayane de Santi, que trabalha home office, é outra que endossa o trabalho remoto. Dayane afirma que a maior vantagem é a autonomia de controlar a agenda e, que o home office é uma ótima uma maneira de conseguir conciliar o tempo de uma forma mais produtiva.

Entre as empresas que já oferecem a possibilidade do home office, cerca de 40% entendem este modelo de trabalho como um benefício ao colaborador e pretendem aumentar a frequência, mostrando que o home office vem sendo cada vez mais compreendido pelas empresas, por seus gestores e desmistificado no mercado de trabalho.

Entre os principais atrativos do home office listados pelas empresas, estão os seguintes pontos:

  • 74% perceberam maior motivação dos profissionais e melhora do clima organizacional.
  • 66% julgam uma melhoria na atração e retenção de talentos.
  • 52% disseram sentir uma melhora e conservação da saúde metal dos funcionários.

 

Entre os colaboradores também foi feita uma pesquisa inédita realizada pela consultoria Talenses, com 1.167 profissionais de diferentes níveis hierárquicos. Seu resultado foi que 42% deles já trabalham no modelo home office e citam alguns benefícios como:

  • Passar menos estresse no trânsito ou transporte público (82%).
  • Melhora na qualidade de vida (69%).
  • Maior concentração no trabalho (54%).
  • Flexibilidade de horário (40%).

 

Como vimos, o home office pode ocasionar muitos benefícios para as empresas e seus colaboradores. É uma forma diferente de se trabalhar, mas, quem sabe, essa rotina possa fazer parte do ‘novo normal’.

 —————————

Sua opinião é muito bem-vinda! Comente, se expresse, esse espaço é seu 😉

Por favor, verifique os termos antes de realizar seu comentário:

  • Os comentários do blog são moderados.
  • Só publique comentários relacionados ao conteúdo do artigo.
  • Comentários anônimos não serão publicados.
  • Não coloque links de artigos de seu blog nos comentários.
  • Deseja nos contatar? Acesse o formulário de contato aqui.
  • Os comentários não refletem a opinião do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *