Top 5 Fake News sobre o Coronavirus

Não devemos acreditar em tudo o que lemos e, principalmente, vimos nas redes sociais ou recebemos pelo WhatsApp, muitas vezes podem ser Fake News

Todos nós somos bombardeados, diariamente,  com várias notícias pelas redes sociais e, principalmente, pelo WhatsApp de amigos, grupos de família ou do trabalho. Mas, infelizmente ou felizmente, nem tudo que recebemos é verdadeiro, existem muitas Fakes News nas mensagens que recebemos.  

Inúmeras receitas ou remédios milagrosos surgem quase que diariamente e muitos deles sem nenhuma comprovação científica. E, ainda assim as pessoas compartilham informações em seus perfis ou pelo WhatsApp, sem checar sua veracidade. Pensando em ajudar, podem prejudicar muita gente espalhando essas notícias falsas ou Fake News. Um fator agravante destas Fake News é que, com o avanço da tecnologia e a facilidade de publicação nas mídias sociais, elas se espalham rapidamente, atingindo a muitas pessoas em pouquíssimo tempo!

Veja abaixo – Top 5 Fake News sobre o Coronavirus, com certeza pelo menos uma delas você já recebeu.

1. Comer alho evita a contaminação pelo Coronavirus
Esta fake news deve estar confundindo o Coronavirus com um vampiro! Sim, podemos encontrar no alho alguns componentes que realmente ajudam nos processos do sistema imunológico, mas segundo a OMS, não existe nenhum estudo científico comprovando que o consumo do alho ajuda a proteger as pessoas do novo Coronavirus.

2. Consumo de altas quantidades de vitamina C natural fortalece o organismo contra o Coronavirus
Muitas pessoas já receberam uma mensagem encaminhada que cita a estudante Laila Ahamadi, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Zanjan, na China, que diz que devemos consumir o máximo que pudermos de vitamina C natural para fortalecer nosso sistema imunológico e fortalecer nosso organismo contra o novo Coronavirus.
O texto diz ainda que o vírus seria resultado de uma fusão entre os genes de cobra e de morcego. A mensagem ainda dá outra dica: o consumo de limão quente (rodelas colocadas em água quente), pois isso poderia proteger e até salvar a vida, de quem contraiu o novo Coronavirus.
Encontramos algumas informações erradas neste texto que é outra fake news. A primeira, que qualquer um pode conferir, é a origem da mensagem: a Universidade de Zanjan fica no Irã e não na China. A segunda é que ainda não tivemos nenhuma comprovação de que o vírus foi transmitido por animais. A OMS ainda estuda as formas de transmissão do Coronavirus e a história de uma fusão de genes entre uma cobra com um morcego é algo que causa, no mínimo, uma certa desconfiança. E uma importante observação deve ser ressaltada, o consumo exagerado de qualquer substância pode ser prejudicial à saúde, inclusive o consumo exagerado de vitamina C, que, se ingerida em excesso, pode provocar cálculos renais e distúrbios gastrointestinais.

3. MMS – Os minerais milagrosos que curam o Coronavirus
Mais uma vez o MMS (sigla para: Solução Mineral Milagrosa ou Suplemento Mineral Milagroso) está sendo relacionados à cura do Coronavirus. Isto já havia acontecido com o câncer e o autismo. Agora, está sendo associado à prevenção e cura do novo vírus COVID-19.
De acordo com a Anvisa, o MMS é composto por dióxido de cloro, muito usado em alvejantes para tratamento de água, como a água sanitária e não possui nenhuma propriedade medicinal, pelo contrário, seu consumo pode até matar. A Anvisa informa ainda que a produção, distribuição, comercialização e divulgação do falso medicamento nunca foi permitido no Brasil.

4. Álcool gel não mata nada, o vinagre é que mata
Um químico autodidata, ou seja, uma pessoa que não é formado e nem especializado em química, surgiu em vídeo dizendo que o álcool gel é ineficaz na esterilização das mãos e que é tudo invenção da mídia para vender mais álcool gel. O certo seria usarmos vinagre, que é mais barato e muito mais eficiente.
Na verdade o álcool gel é sim muito eficiente, principalmente se a sua composição vier com 70% de álcool, como é vendido na maioria das farmácias e lojas. Estudos mostram que o álcool gel tem alta eficácia na esterilização das mãos, portanto, muito útil na luta contra a disseminação do Coronavirus. Em contra partida, o vinagre não é um ácido acético, ele tem de 4 a 6% de ácido acético. Mas algo muito mais simples pode ser feito na assepsia das mãos. Basta lavar as mãos com água e sabão, este simples gesto é suficiente para manter as mãos higienizadas e reduzir as chances de propagação do Coronavirus e outros vírus respiratórios, como o H1N1.

5. Beber água quente e tomar sol matam o Coronavirus
Você acreditaria se alguém te dissesse que beber água quente mata o Coronavirus? Por mais incrível que isto possa parecer, algumas postagens afirmam que podemos matar o Coronavirus apenas bebendo água quente e tomando sol.
Estas duas atitudes não foram comprovadas por nenhum estudo e podem ser consideradas fake news.
E sobre tomar sol? Como todos sabemos, a temperatura do corpo humano varia entre 36ºC e 37ºC. Não existe nenhum estudo que comprove que o calor do sol mata o vírus, mas mesmo que matasse, ele teria tempo suficiente de contaminar pessoas e disseminar a COVID-19.
O perigo de ficarmos expostos ao sol por muito tempo são conhecidos por todos, entre eles podemos citar insolação, queimaduras na pele e favorecimento para o aparecimento do câncer de pele.

Pois bem, não acredite em tudo que você lê nas mídias sociais ou recebe de amigos ou em grupos de WhatsApp. E, antes de compartilhar, verifique a veracidade da informação, seja consciente e seja mais um a espalhar fake news!

 —————————

Sua opinião é muito bem-vinda! Comente, se expresse, esse espaço é seu 😉

Por favor, verifique os termos antes de realizar seu comentário:

  • Os comentários do blog são moderados.
  • Só publique comentários relacionados ao conteúdo do artigo.
  • Comentários anônimos não serão publicados.
  • Não coloque links de artigos de seu blog nos comentários.
  • Deseja nos contatar? Acesse o formulário de contato aqui.
  • Os comentários não refletem a opinião do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *