Consórcio: Tudo o que você precisa saber

O que é?

Consórcio é a modalidade de compra baseada na união de pessoas – físicas ou jurídicas – em grupos, com a finalidade de formar poupança para a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços. A formação desses grupos é feita por uma Administradora de Consórcios, autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil.

Como funciona

Nesse sistema, o valor do bem ou serviço é diluído em um prazo predeterminado, e todos os integrantes do grupo contribuem ao longo desse período. Mensalmente (ou conforme estipulado em contrato), a administradora os contempla, por sorteio ou lance, com o crédito no valor do bem ou do serviço contratado, até que todos sejam atendidos.

Características
  • Parcelamento integral;
  • Diversidade de prazos para pagamentos;
  • Poder de compra à vista;
  • Possibilidade mensal de obter o crédito por meio de sorteio;
  • Possibilidade de acelerar a contemplação por meio de lances;
  • Oportunidade de formar e ampliar patrimônio;
  • Flexibilidade do uso do crédito.
 
Tipos de consórcios

A flexibilidade dos planos permite diversos tipos de compra, como:

  • Bens móveis: Automóveis, Motocicletas, Caminhões e Ônibus, Tratores e Implementos Agrícolas, Aviões e Embarcações, Mobiliário Residencial, Comercial e Industrial, Eletrodomésticos e Eletroeletrônicos e Equipamentos Médicos e Odontológicos;
  • Imóveis: Casas e Apartamentos, Salas, Lojas ou Galpões Industriais e Comerciais, Lotes e Terrenos, Casa de Veraneio e Reforma de Imóveis;
  • Serviços: Viagens, Educação, Festas de Casamento e Formatura, Procedimentos Estéticos, Cirurgias Plásticas, Tratamentos Odontológicos com colocação de Aparelhos e Próteses Dentárias e Serviços Residenciais ou Empresariais tais como Decoração, Jardinagem e Pintura.
 
Como os grupos funcionam?

A administradora reúne um grupo de pessoas que desejam adquirir um bem ou serviço. Com esse conjunto de participantes estabelecidos, os integrantes passam a realizar pagamentos mensais. Somados todos esses valores, uma poupança conjunta é formada.

É importante destacar, inclusive, que o valor das parcelas é definido antes mesmo da assinatura do contrato. Isso é muito importante para que o participante esteja ciente de todas as condições e não seja surpreendido por custos muito além da sua capacidade financeira.

Para a proteção dos integrantes, a administradora fornece um contrato de adesão, com todos os critérios bem definidos e acessíveis para os consorciados. Com os recursos do grupo, é feita a contemplação de um ou mais integrantes por meio de sorteios ou da oferta de lances.

O momento da contemplação é simbolizado pelo acesso à carta de crédito, que possibilita a compra do bem ou serviço. A partir daí, esse processo se repetirá até que todos os membros daquele grupo sejam devidamente contemplados. É importante destacar que, mesmo depois de receber a carta de crédito, o consorciado contemplado deverá continuar quitando as parcelas estabelecidas no contrato.

É importante salientar que o grupo de consórcio só é efetivamente formado a partir da execução da primeira assembleia.

O que são as cotas?

  • cota de um consórcio nada mais é do que a identificação de cada participante do grupo. Imagine que há 300 membros juntando dinheiro para adquirir bens ou serviços semelhantes. O dinheiro da contribuição individual é reunido para formar o Fundo Comum. A sua cota corresponde à sua participação nesse fundo.
  • Na prática, a sua cota de consórcio é um bem que será pago ao longo do prazo do grupo. Tanto é que há pessoas que negociam cotas, vendendo-as ou comprando-as, conforme a situação.
  • Em alguns momentos específicos, o número da cota (o identificador no grupo) é ainda mais importante. É o caso, por exemplo, do sorteio mensal.
  • Ele é que define a cota sorteada no mês, que será contemplada com a carta de crédito e permitirá ao consorciado adquirir o bem ou serviço desejado. Cabe salientar que, além do sorteio, há a possibilidade de ser contemplado com a oferta de um lance.

 

Como acontecem os lances?

Mensalmente, há a realização de assembleias — que são reuniões dos membros de cada grupo. É nesse momento que acontecem os sorteios, responsáveis por definir quem terá acesso à carta de crédito. Mas, caso queira, você não precisa esperar pela sorte. É possível oferecer um valor para antecipar o pagamento de parcelas, o que é chamado de lance.

Geralmente, quem oferece o maior lance é contemplado. No entanto, quem faz uma oferta e não tem um lance vencedor não precisa arcar com o pagamento do lance, e pode guardar o dinheiro para tentar novamente nos meses seguintes. Em suma, existem dois tipos de lance:

  • Fixo: Quando o valor oferecido atende a um montante especificado pela administradora;
  • Livre: Ocorre quando o consorciado faz uma oferta de acordo com as suas condições, sempre respeitando os percentuais descritos no contrato.
 

Existe também o chamado lance embutido, que embora não seja uma modalidade específica, e sim uma forma de pagamento do lance, merece ser mencionada. O lance embutido é uma alternativa para quem não tem recursos próprios para ofertar como lance. Assim, o consorciado utilizará parte da sua futura carta de crédito para pagar o valor do lance. Também existe a possibilidade de complementar o valor do lance embutido com recursos próprios, aumentando ainda mais as chances de contemplação.

Para facilitar o entendimento, imagine que uma pessoa entra em um grupo de consórcio para a aquisição de um imóvel, cujo valor é de R$ 250.000,00. Essa pessoa não tem nenhum dinheiro guardado para ofertar de lance e tentar antecipar a sua contemplação. Desse modo, ela decide oferecer um lance embutido de R$ 50.000,00, valor esse que será descontado do total da sua carta de crédito.

Assim, caso esse participante tenha sucesso no seu lance, receberá uma carta de crédito no valor de R$200.000,00, já que R$50.000,00 havia sido ofertado como lance e já foi abatido do montante da dívida.

No mais, é preciso deixar claro que, para dar um lance, é preciso comunicar à administradora a intenção e o valor antes da assembleia. No caso do lance embutido, é preciso ainda que tal alternativa esteja prevista no contrato do consórcio.

Como acontece a contemplação?

De acordo com as normas definidas, a cada período as administradoras fazem a entrega de um determinado número de cartas de crédito com valor correspondente ao bem ou serviço que os consorciados pretendem adquirir.

A entrega de uma carta de crédito é chamada de contemplação, e pode ocorrer de diferentes maneiras. Vamos conhecê-las.

  • Sorteios mensais

É a forma tradicional de se conseguir a contemplação. Caso o membro do grupo não tenha pressa em ter acesso ao crédito, ele pode esperar os sorteios mensais até ser contemplado.

  • Oferta de lances

Como vimos, os lances funcionam como um tipo de leilão. Nessa oportunidade, diferentes participantes podem oferecer valores, os quais correspondem à antecipação das parcelas do consórcio. Geralmente, quem oferta o maior lance sai vencedor.

  • Encerramento do grupo

Por fim, se a contemplação não acontecer por nenhuma das outras formas, ela virá quando o pagamento de todas as parcelas for efetuado, ao término do grupo.

Como a carta de crédito deve ser utilizada?

A carta de crédito equivale ao valor total do consórcio. Ela é plenamente aceita no mercado, uma vez que é garantida pelo Banco Central, e é utilizada para a aquisição de um bem ou para a contratação de um serviço. Essa carta de crédito tem valor de pagamento à vista.

Portanto, embora o valor esteja determinado, isso não impede que você negocie melhores condições para fechar negócio — esse é, inclusive, um dos pontos positivos desse tipo de aplicação.

Ao ser contemplado, o consorciado não recebe diretamente o dinheiro, mas escolhe o bem ou serviço a ser adquirido, definindo em qual empresa vai realizar a compra ou contratação. Em seguida, ele leva as informações para a administradora, que fará as análises necessárias e cuidará do intermédio do pagamento.

Assim como mencionado acima, a carta de crédito pode ser utilizada para adquirir diversos tipos de bens e serviços, de acordo com a categoria contratada — bens móveis, bens imóveis e serviços.

Vantagens do consórcio

Agora que você já conhece os diferentes tipos de consórcio e entende como esse investimento funciona, é hora de saber por que ele é tão vantajoso.

  • Ampla diversidade de planos

Anteriormente falamos sobre as várias realizações que podem ser conquistadas a partir da carta de crédito. A imensa diversidade de planos é ideal para quem ainda não definiu um alvo exato.

Pense que você deseja adquirir um carro no valor de R$ 30.000,00, mas ainda não se decidiu por um modelo específico que pode ser comprado nessa faixa de preço, por exemplo. No consórcio você tem esse direito de decisão em mãos.

Seja para comprar um apartamento, seja para ter a moto que você sempre sonhou: o consórcio é uma maneira segura e regular de aplicar o seu dinheiro e convertê-lo em um bem ou serviço.

  • Ausência de juros

Não é segredo que os consórcios não têm juros. Ainda assim, muitas pessoas se esquecem desse “detalhe”, que pode fazer uma grande diferença para o bolso de quem almeja a liberdade financeira.

Outras formas de quitar um imóvel esbarram nesse fator, que acaba deixando o valor de uma compra muito mais alto do que o preço praticado em uma aquisição feita à vista. No caso do consórcio, o que existe é o pagamento da taxa de administração, que é a forma de remuneração da administradora pelo serviço de gerenciamento prestado. Geralmente, ela tem um valor bem mais acessível quando comparado a outras formas de aquisição parcelada.

  • Baixo custo inicial

Você sabia que o consórcio não exige nenhuma entrada da parte de quem investe? Aliás, a necessidade de fazer um aporte inicial acaba afastando muitas pessoas do mundo dos investimentos.

Em um consórcio, a primeira parcela paga já conta como uma parte do serviço ou bem que você quer comprar. Além de proporcionar um custo efetivo proporcionalmente menor em relação a outras formas de parcelamento, o pagamento inicial será semelhante aos demais — não é preciso apertar o seu orçamento para investir. Isso é um ótimo incentivo para começar.

  • Riscos reduzidos

Imagine que você se dedicou ao controle de gastos durante anos: com muito esforço, foi possível poupar uma quantia considerável. Agora, você quer expandir o seu patrimônio e alcançar novas conquistas.

Ao olhar para o mercado, você se depara com várias opções de aplicação financeira, mas tem dificuldade para entender com exatidão quais são os riscos envolvidos. Afinal, quais são as reais chances de obter o retorno esperado?

A boa notícia é que, entre os diferentes tipos de consórcio, você encontra alternativas para investir sem se arriscar muito. Se comparado aos títulos públicos ou à Bolsa de Valores, o consórcio desponta como uma opção segura, porque todo o dinheiro investido é direcionado exclusivamente ao saldo de caixa do grupo.

  • Economia

Algumas pessoas encontram dificuldades quando o assunto é guardar dinheiro. Acredite: muitas vezes isso não acontece pelo custo de vida, mas sim pela tentação de parcelar itens desnecessários e fazer compras por impulso.

Quando você entra em um consórcio, assume o compromisso de honrar com uma obrigação mensalmente. Ou seja, é como se você tivesse mais uma conta entre as despesas corriqueiras: água, internet, condomínio, celular etc.

Entretanto, em vez de destinar esse montante a mais uma conta de consumo, você fará uma economia para concretizar um objetivo importante para a sua vida. Sabe aquela sensação de que determinado valor poderia ter sido usado em algo relevante? O consórcio, independentemente do tipo escolhido, ajuda a criar tal disciplina.

  • Otimização do planejamento financeiro

Por ser um compromisso assumido mês a mês, o seu planejamento financeiro tende a melhorar. Afinal, ficar inadimplente com as parcelas pode atrapalhar a conquista que você tanto deseja.

Além disso, a prática fará com que você preste mais atenção em gastos supérfluos e que podem ser cortados do seu orçamento. Portanto, o consórcio é uma boa opção não só por auxiliar com as economias, mas também por levar a uma série de reflexões sobre o jeito de gerir as finanças.

  • Melhoria do poder de compra

Esse fator foi citado ao longo do conteúdo, mas ele é tão importante que devemos ressaltá-lo. Com o reajuste do consórcio, garante-se a manutenção do poder de compra da carta de crédito, mesmo com o passar do tempo e com os efeitos provocados pela inflação.

Como se isso não bastasse, a carta também possibilita que a aquisição seja feita à vista. Via de regra, vendedores costumam conceder descontos em aquisições realizadas nesses moldes — basta negociar!

Dicas Importantes

Procure uma administradora de consórcios autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil:

  • A administradora de consórcios é a empresa que organiza e administra os grupos de consórcios;
  • O Banco Central do Brasil, de acordo com a Lei nº 11.795/2008, é a autoridade competente para normatizar e fiscalizar o Sistema de Consórcios no Brasil;
  • Consulte o site do Banco Central para conferir a relação de empresas autorizadas, em www.bcb.gov.br, ou clique aqui e encontre uma administradora associada à ABAC.

Antes de assinar o contrato de participação em grupo de consórcio, é recomendável que você:

  • Leia atentamente as cláusulas do contrato para conhecer seus direitos e obrigações;
  • Verifique se o valor do crédito e o prazo de duração do grupo constam no contrato;
  • Confira os percentuais de contribuições (taxa de administração e, se houver, fundo de reserva e/ou seguro) e as demais despesas que serão cobradas;
  • Certifique-se quanto ao critério de correção do crédito que será aplicado pela administradora e às garantias que você deverá fornecer para retirar o bem ao ser contemplado;
  • Verifique as regras de contemplação por sorteio e lance, a forma de antecipação de pagamento de prestações e a possibilidade de optar por crédito de menor ou maior valor antes da contemplação;
  • Certifique-se de que aquilo que foi prometido, em propaganda ou pelo vendedor, consta do contrato. Desconsidere promessas verbais: todos os direitos e obrigações do consorciado devem estar estabelecidos no contrato.
 

No ato da assinatura do contrato, exija uma das vias do documento de adesão e/ou cópia do regulamento do grupo.

 —————————

Sua opinião é muito bem-vinda! Comente, se expresse, esse espaço é seu 😉

Por favor, verifique os termos antes de realizar seu comentário:

  • Os comentários do blog são moderados.
  • Só publique comentários relacionados ao conteúdo do artigo.
  • Comentários anônimos não serão publicados.
  • Não coloque links de artigos de seu blog nos comentários.
  • Deseja nos contatar? Acesse o formulário de contato aqui.
  • Os comentários não refletem a opinião do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *